Notícias

29/05/2017 - Ludoeducação: pedagogia que mistura brincadeiras com aprendizado

A palavra "lúdico", tão utilizada por quem trabalha com infância e educação, vem do termo em latim "ludus", que significa brincar ou jogar. E quando a educação se apropria desse espírito, o que surge?

Você já viu falar de "ludoeducação"? Trata-se uma abordagem pedagógica que incorpora a ludicidade, ou seja, as brincadeiras, os jogos e o potencial brincante natural da criança, ao processo de ensino-aprendizagem.

Na última semana de maio, celebra-se em todo o território nacional a iniciativa global Semana Mundial do Brincar. O tema deste ano é "o brincar de encanta o tempo". A proposta é defender o tempo de ser criança e os ritmos da infância. E, mais do que isso, a SMB, que é realizada desde 2009 pela Aliança Pela Infância, é sensibilizar a população sobre a importância do brincar. 

 

A proposta é utilizar a brincadeira para apresentar à criança caminhos para as descobertas, a apreensão da linguagem e a resolução de problemas.

De acordo com essa perspectiva, a criança teria com o ensino uma experiência mais significativa, estimulante e, claro, divertida.

“A ação na esfera imaginativa, numa situação imaginária, a criação de propósitos voluntários e a formação de planos de vida reais e impulsos volitivos aparecem ao longo do brinquedo, fazendo do mesmo o ponto mais elevado do desenvolvimento pré-escolar. A criança avança essencialmente através da atividade lúdica”, defende o teórico russo Lev Vygotsky, ícone do conceito de ensino como processo social.

Um projeto Sinduscon RN e IDE.

Observatorio da Educação (c) 2012 - Todos os os direitos reservados