Notícias

31/01/2017 - Entenda os distúrbios: dislexia, discalculia e disortografia

Quando a criança começa a ser alfabetizada, pais e professores devem ficar atentos para possíveis distúrbios de aprendizagem que interferem no desempenho escolar e no desenvolvimento infantil. A dislexia, a discalculia e a disortografia são alguns deles. Estes distúrbios, quando não são bem acompanhados, podem causar a marginalização ou até estigmatização da criança, como também provocar fracassos que causarão dificuldades de socialização.

A dislexia, que interfere no aprendizado da leitura, é o distúrbio mais conhecido e também mais estudado. A discalculia, que gera dificuldades com números, e a disortografia, que causa dificuldades na escrita, não possuem tantas pesquisas científicas a respeito.

Um artigo reuniu experiências e descobertas científicas sobre estes três distúrbios, avaliando-os a partir da psicologia, neurociência, ciências cognitivas, linguística, psicolinguística, neurobiologia e neuropsicologia.

No texto, os distúrbios relacionados à escola são definidos como um conjunto de dificuldades de aprendizagem que não pode ser atribuído ao atraso intelectual, a uma deficiência sensorial ou a uma deficiência de condições. Segundo o artigo, estas dificuldades são inesperadas, assim como outros aspectos do desenvolvimento, e podem persistir até a idade adulta.

A dislexia denota uma dificuldade em aprender a ler, apesar de um bom ambiente socioeconômico ou inteligência e ensino adequados. Estudos revelaram que as crianças disléxicas também podem ter habilidades particularmente deficientes em relação ao processamento fonológico fora da leitura.

De acordo com o artigo, outras análises revelaram ainda que a dislexia em crianças não-falantes de inglês tem ligação com a dificuldade em memorizar a forma visual das palavras, enquanto em crianças de língua inglesa está relacionada a uma deficiência fonológica.

A discalculia usualmente se refere a uma desordem de habilidades matemáticas em crianças de inteligência normal. O distúrbio é frequentemente acompanhado de deficiências visuais e espaciais, embora não haja unanimidade científica nessa questão. Os poucos estudos existentes neste campo revelam que uma em cada duas crianças que sofrem com discalculia também possui dificuldades na leitura. 

Já a disortografia representa uma desordem geral na escrita, ou seja, dificuldade de escrita relacionada ao motor, de conclusão da tarefa escrita, ortografia inadequada, e problemas de composição da escrita – como escolha de palavras, construção de frases e organização de textos.

Ainda de acordo com o artigo, vários estudos fornecem provas significativas de uma associação frequente entre deficiências de aprendizagem e distúrbios comportamentais ou emocionais. 

Um projeto Sinduscon RN e IDE.

Observatorio da Educação (c) 2012 - Todos os os direitos reservados