Notícias

16/09/2016 - Seminário encerra a primeira etapa da campanha "Aqui A Gente Aprende"

Após sete meses de muito trabalho, ouvindo a sociedade potiguar sobre a educação pública do Rio Grande do Norte, o Instituto de Desenvolvimento da Educação (IDE) e o Instituto C&A, apresentaram na última quarta-feira o balanço final da primeira etapa da campanha “Aqui A Gente Aprende”, no auditório da Assembleia Legislativa do Estado. Os dados coletados foram encaminhados aos órgãos que atendem às demandas apontadas no relatório, além de estamparem uma publicação que será distribuída para a sociedade.

Segundo o balanço, 55% dos participantes enviaram críticas ao contexto de escola atual e 45% contribuíram com sugestões. Liderando o ranking das críticas está a falta de professores em sala de aula, representando 40%. Já no que compete as sugestões, 38% acreditam que o Estado precisa de mudanças no seu modelo de ensino.

O levantamento se deu de forma voluntária, onde o cidadão tinha a liberdade de entrar em contato com a equipe do IDE, deixando suas críticas e sugestões relacionadas à educação pública do estado. Este contato ocorreu por meio do aplicativo de mensagens WhatsApp,pelas redes sociais e também através de ligações para uma linha gratuita.

A campanha contou com o apoio de veiculação da TV Assembleia, TV Câmara Natal, InterTV Cabugi, Band Natal e da Tribuna do Norte, sendo esses três últimos veículos de comunicação privados que veicularam gratuitamente as propagandas. A agência responsável, Pandora Comunicação, também expôs todo conceito aplicado para a criação das peças. A diretora de jornalismo da TV Câmara, Virgínia Coelli, e o diretor de programação da InterTV Cabugi, Carlos Peixoto, mostraram total interesse em continuar exibindo em sua programação os vídeos da campanha.

De acordo com a diretora executiva do IDE, educadora Evania Oliveira, as informações obtidas pelos canais disponibilizados abrem o diálogo entre sociedade e o poder público. “São informações riquíssimas, que indicam a visão que os potiguares têm da escola pública, quais problemas são mais recorrentes nas instituições de ensino e quais propostas para melhorá-las”, justifica Evania Oliveira.

A luta agora é pela renovação de parcerias e a busca de novos investidores a fim de viabilizar uma nova etapa da campanha, estimulando a fala da sociedade sobre o que pode melhorar na escola.

Um projeto Sinduscon RN e IDE.

Observatorio da Educação (c) 2012 - Todos os os direitos reservados