Notícias

16/08/2016 - Projeto da Escola Estadual Djalma Marinho ressalta a história das Olimpíadas

Projeto “Vivenciando as Olimpíadas” da Escola Estadual Djalma Marinho mobiliza alunos, professores e comunidade na cidade de Nova Cruz, região Agreste do RN. Iniciado no mês de março, o projeto, orientado pelos professores de Educação Física, Genilson Vitor, César Marques e Arlen de Melo, teve evento de encerramento na terça-feira (2).

No evento de encerramento os estudantes expuseram dezenas de maquetes representativas de todas as olimpíadas e paralimpíadas. O projeto teve a participação de alunos dos turnos matutino, vespertino, noturno, e dos matriculados na modalidade Educação de Jovens e Adultos (EJA).

A exposição foi acompanhada pela comunidade escolar, moradores da comunidade, e pelo professor Miguel Rosa, diretor da 3ª Direc (Diretoria Regional de Educação e Cultura), órgão pertencente à Secretaria da Educação do RN, ao qual está jurisdicionada a Escola Estadual Djalma Marinho.

O evento contou também com uma apresentação teatral falando sobre a importância da Paz e dos esportes enquanto prática que une todos os povos, todas as raças, independente de credos religiosos.

O professor Genilson Vitor justificou a realização do projeto pelo fato de estarmos realizando neste ano, as olimpíadas no Brasil, na cidade do Rio de Janeiro, e sabermos de sua importância para o mundo. “Esta é uma maneira de envolvermos no projeto os alunos do ensino médio de aprender os diversos conteúdos que temos na Educação Física sobre os Jogos Olímpicos de forma proveitosa para os alunos e os professores”, disse.

Genilson Vitor acrescenta que durante o projeto os alunos tiveram a oportunidade de pesquisar a história dos Jogos Olímpicos, com origem na Grécia, há mais de 2.700 anos: “A História que agora é do conhecimento dos alunos da Djalma Marinho”.

História

Os primeiros Jogos Olímpicos eram realizados de quatro em quatro ano há mais de 2.700 anos na Grécia Antiga. A competição era uma celebração de tributo aos deuses. O imperador Teodósio I terminou os jogos em 393 e 394. Todas as referências pagãs da antiguidade deveriam ser interrompidas.

Centenas de anos depois, o historiador francês Pierre de Frédy, conhecido pelo título Barão de Coubertin, procurou reviver o congraçamento dos povos pela via do esporte e trazer de volta os Jogos Olímpicos.

O barão ficou conhecido como o fundador dos Jogos Olímpicos da Era Moderna. Em 23 de junho de 1894, ele organizou um congresso internacional na Sorbonne, em Paris, que levou o nome de Comitê Olímpico Internacional (COI ). Dois anos depois foram realizados os Jogos Olímpicos de Atenas na Grécia, os primeiros da era moderna.

Até sua morte em 1937, em Genebra na Suiça, o Barão de Coubertin era o presidente honorário do COI.  

Um projeto Sinduscon RN e IDE.

Observatorio da Educação (c) 2012 - Todos os os direitos reservados