Notícias

07/08/2015 - Vereadora critica gastos do Estado com a UERN

“É inadmissível que um Estado que possui um dos piores resultados no Ensino Médio do país continue mantendo uma universidade, quando a obrigação de cuidar do Ensino Superior é da União”, reafirma a educadora.

Para Eleika, que professora universitária aposentada e presidente da Comissão de Educação da Câmara Municipal de Natal, os números divulgados são resultado de vários fatores, mas a manutenção da Universidade Estadual do Rio Grande do Norte (UERN) por parte do Governo do Estado contribui.

“A estrutura das escolas é precária, as unidades são mal mantidas, ainda faltam muitos professores em sala de aula e com isso tudo é difícil sustentar a escola. Mas o fato de o Rio Grande do Norte sustentar uma universidade, quando esta não é sua obrigação constitucional, é além de incoerente, um descaso. O Estado tem que cuidar do seu Ensino Médio e, isto, os dados mostram claramente que não vem sendo feito. O Ensino Superior é de responsabilidade da União, então, que o Governo Federal receba a UERN e a federalize. É importante lembrar que não tenho nada contra a UERN, mas esta é claramente contraditória”, disse a parlamentar.

Eleika Bezerra lembrou ainda que a situação também é uma consequência da falta de investimentos nas séries anteriores. “Não se pode esquecer que a precariedade do Ensino Médio tem suas origens na Educação Infantil (0 aos 5 anos) e no Ensino Fundamental (6 aos 14 anos), as quais não recebem a devida atenção dos governantes. A Educação Básica é tão básica que se chama básica”, conclui Eleika Bezerra.

A professora Cláudia Santa Rosa, diretora executiva do Instituto de Desenvolvimento da Educação (IDE) concorda com Eleika. “Quero deixar claro que não defendo o fechamento da UERN, mas o governo (estadual) não pode perder de vista que a responsabilidade dele é com o ensino médio e com parte do ensino fundamental. Então, desse ponto de vista, acho que existe uma inversão de prioridades.” Para ela, neste momento de dificuldades que o Estado atravessa seria interessante abrir o debate sobre a proposta de federalização. “E bom lembrar que existe um número elevado de alunos vêm de outros estados para estudar na UERN.”

Para o líder do governo na Assembleia Legislativa, deputado Fernando Mineiro (PT) a posição da vereadora de Natal é equivocada. “Pelo contrário: ao formar professores, a UERN tem um papel muito importante na melhoria da qualidade do ensino básico do Rio Grande do Norte. Além disso, leva o ensino superior a locais, onde outras universidades não chegam.”

Mineiro considera difícil a federalização por precisaria mudar a constituição brasileira para incluir não apenas ela, mas todas as universidades mantidas pelos estados. “O mais plausível seria a fixação de um porcentual de recursos federais para o ensino superior financiado hoje pelos estados.” De acordo com os dados divulgados, o Rio Grande do Norte tem apenas uma escola (privada) entre as 100 instituições com melhores notas no Enem. A primeira escola da rede estadual do RN a aparecer no ranking é a Santos Dumont, em Parnamirim, na posição 5.850 no ranking nacional.

Fonte: Tribuna do Norte

Um projeto Sinduscon RN e IDE.

Observatorio da Educação (c) 2012 - Todos os os direitos reservados