Notícias

18/06/2015 - Escola Walter Duarte enfrenta falta de professores e problemas estruturais

Conforme notícia do Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do RN (SINTE/RN) da última segunda-feira (15), a Escola Estadual Walter Duarte Pereira (localizada no Conjunto Santa Catarina, Zona Norte de Natal) pede socorro. De acordo com o relatório do sindicato, a escola apresenta diversos problemas em toda sua estrutura física, bem como falta de professores. O SINTE foi à instituição e comprovou o descaso.

Recentemente, duas salas foram desativadas devido à queda do forro. O acidente comprometeu a rede elétrica dos dois espaços e obrigou os professores de química e geografia a fazerem um revezamento, onde a cada semana uma matéria é contemplada.

A situação se estende pelas dez salas da escola, que encontram-se com 50% às escuras, problemas de infiltração, além de 80% dos ventiladores desativados por serem muito velhos. O caso é tão sério que a instituição adquiriu 14 novos ventiladores, entretanto, os aparelhos não podem ser utilizados devido aos problemas da rede elétrica.

Os dois banheiros da escola apresentam vazamento hidráulico. Caso semelhante é o do banheiro para deficientes, que hoje é utilizado como depósito. Segundo a denúncia, até os aparelhos de ar condicionado das salas apresentam defeitos.

Na avaliação da direção, a escola possui uma área interna insuficiente para a circulação dos alunos e a cozinha, segundo a engenharia da secretaria, é inadequada pela estrutura espacial. A quadra de esportes, bastante esburacada, está desativada porque não apresenta condições de uso.

O corpo docente também está desfalcado. No turno da manhã, os alunos do ensino médio estão sem professores de biologia, física, história, espanhol, educação física e ensino religioso. A situação se repete no turno da tarde, inclusive para os da EJA (Educação de Jovens e Adultos), que enfrentam a falta de profissionais para ministrar as disciplinas de ciências e religião. No turno da noite, segundo a direção da escola, não há professores de inglês, religião e de educação física.

O diretor da escola, Richardson Alex de Brito, denuncia que a direção da instituição vem cobrando providências da Secretaria Estadual de Educação, desde o dia 19 de fevereiro. Entretanto, até o momento nada foi feito.

“Hoje, nós temos em matéria de condições a escola funcionando somente com a boa vontade e o trabalho duro dos professores e também os alunos que nos ajudam. A estrutura física da escola tá afetada. Nós temos três salas desativadas. Nós temos 118 horas de aulas vagas. A falta de professores é um dos problemas mais sérios hoje”, desabafa o diretor.

Fonte: SINTE/RN

Um projeto Sinduscon RN e IDE.

Observatorio da Educação (c) 2012 - Todos os os direitos reservados