Notícias

04/09/2013 - Instituto Ary Parreiras sofre por falta de professores

Fonte: O Jornal de Hoje - 02 setembro 2013 

 

Alunos de três escolas estaduais realizaram protesto nesta manhã que atrapalhou trânsito das principais avenidas da cidade. Foto: José Aldenir

Alunos de três escolas estaduais realizaram protesto nesta manhã que atrapalhou trânsito das principais avenidas da cidade. Foto: José Aldenir

 

Enquanto a Secretaria de Estado da Educação (Seec) se prepara para encaminhar às escolas públicas 116 professores recém convocados, as unidades escolares fazem fila diante da necessidade de profissionais. A diretoria do Instituto Ary Parreiras, localizado no Alecrim, vem sofrendo há alguns meses com a falta de professores para ministrar todas as aulas do currículo escolar aos 1.450 alunos do Ensino Fundamental I e II.

Segundo relato do diretor Fábio Antônio Moura, algumas turmas estão sem aulas de Português, Matemática, Ciências, História, Inglês e Cultura e Religião. “Alguns pais dos alunos chegaram a ir à Secretaria na semana passada, durante solenidade da Seec, para tentar um diálogo com a secretária Betânia Ramalho. O nosso problema explanado neste dia foi em relação à falta de profissionais nestas disciplinas, uma situação que chegou a piorar em função da redução da carga horária dos professores”, disse.

Fábio informou que foi procurado por Betânia Ramalho e em audiência realizada na última sexta-feira ficou acertado uma solução urgente. “Ela nos garantiu que em até um mês resolveria nosso problema, seja através do encaminhamento de novos professores convocados ou através do pagamento de carga horária suplementar, já que não houve demanda para certas disciplinas”, afirmou.

De acordo com a Seec, as providências para melhorar a situação do Instituto Ary Parreiras já estão sendo tomadas. Outro ponto acordado na reunião entre a secretária e o diretor da unidade foi a realização de cursinhos aos sábados para repor as aulas perdidas. Quanto ao encaminhamento dos novos professores, estes devem se apresentar à secretaria e à Junta Médica em um prazo de 30 dias, contados a partir da data de publicação da convocação no Diário Oficial do Estado.

Alunos da rede estadual exigem convocação de mais professores

Não é só a Ary Parreiras que vem sofrendo com problemas de falta de profissionais. Na manhã desta segunda-feira, alunos das Escolas Estaduais Atheneu, Winston Churchill e Anísio Teixeira caminharam pela avenida Senador Salgado Filho em protesto contra as más condições da educação pública. Os estudantes, coordenados pelos grêmios estudantis das escolas, seguiram até a Governadoria para exigir de Rosalba Ciarlini reformas urgentes nas estruturas das unidades e a convocação de mais professores.

Aproximadamente cem estudantes se mobilizaram para o protesto, que chegou a interromper o fluxo das avenidas Alexandrino de Alencar, Hermes da Fonseca e Salgado Filho. Beatriz Mafra, estudante da escola Anísio Teixeira, criticou a falta de professores para disciplinas básicas e questionou as condições dos banheiros da escola. “Nós estamos sem professores de Português e Matemática e, por isso, três turmas estão completamente paradas. Além disso, o banheiro feminino só conta com um sanitário para toda a escola”, declarou.

Um projeto Sinduscon RN e IDE.

Observatorio da Educação (c) 2012 - Todos os os direitos reservados