Notícias

30/07/2013 - RN tem 70 cidades com baixo IDH

Fonte: Tribuna do Norte

Apesar dos avanços conquistados nos últimos vinte anos nos indicadores sociais, especialmente nas áreas de saúde e renda (queda da mortalidade infantil e combate à miséria),  apenas  quatro municípios do Rio Grande do Norte conseguiram atingir o grau de alto desenvolvimento humano das Nações Unidas. São eles: Parnamirim, Natal, Mossoró e Caicó. O novo IDHM – Índice de Desenvolvimento Humano Municipal – com base nos dados coletados pelo IBGE no Censo de 2010, e divulgado ontem em Brasília, mostra que no RN  93 municípios, ou 55,69% do total, estão enquadrados na faixa de médio desenvolvimento humano, enquanto 70, ou 41,92%, tem baixo IDH. Nenhum atingiu o grau “muito alto”.

Os fatores para levar um município ao topo ou à base do ranking mudam de acordo com o porte populacional e região geográfica. Dos quatro com alto padrão de desenvolvimento, dois são da Grande Natal, um é polo do Oeste e outro polo do Seridó. Com bons indicadores educacionais, o Seridó tem nove municípios entre os 20 melhores do Rio Grande do Norte. E só não conseguiu indicadores mais elevados por causa do padrão de renda da população. Desde o fim da cultura algodoeira, dizimada pela praga do bicudo no início da década de 1980, o Seridó vinha enfrentando um processo que os especialistas chamam de “deserto econômico”, apesar de ter melhorado nos últimos tempos.

Município com um dos maiores crescimentos populacionais do Brasil – cerca de 7% ao ano na década passada – Parnamirim tinha em 2010, quando os dados do IBGE foram coletados, 202 mil habitantes, ante 63 mil em 1991. Pela nova metodologia usada pelo Programa  das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud), o IDHM passou de 0,472 (muito baixo) em 1991 para 0,766 (alto) em 2010. Na última década, o município investiu em Educação e Saúde. A rede municipal hoje tem mais de 60 escolas do ensino infantil e fundamental, a maioria delas funcionando em prédios novos, com professores concursados e com nível superior.

Apesar dos investimentos feitos em educação na última década, este foi o indicador que barrou o crescimento da maioria. Se fosse levar em conta os indicadores de saúde, por exemplo, Parnamirim, Natal, Mossoró e Caicó atingiriam o grau  de pleno desenvolvimento humano. No caso da educação, com exceção de Parnamirim, que tem a escola de ensino fundamental com melhor Ideb do Rio Grande do Norte, os demais ficariam no grau de “médio IDH”.

O mapa do desenvolvimento mostra situações peculiares. Guamaré por exemplo. O município que tem o maior PIB per capita do Rio Grande do Norte, que superou Mossoró no ICMS – Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços – e que arrecada cerca de 25 milhões mês – 50 vezes a mais que municípios de seu porte populacional, divide um modesto 43º lugar no ranking do IDHM com Campo Redondo e Várzea.

Ceará-Mirim, que já foi um município de forte atividade econômica, hoje enfrenta problemas com a  pobreza de seus moradores e com a baixa qualidade da educação. O município ocupa o 63º. Com IDH 0,684, abaixo da média nacional de 0,727, RN ocupa o 16º lugar no ranking nacional, e o primeiro no nordestino. Os municípios com piores indicadores são, pela ordem, João Dias, Parazinho, Ielmo Marinho, Lagoa de Pedras e São Bento do Norte .

PENUD-IPEA

 

Um projeto Sinduscon RN e IDE.

Observatorio da Educação (c) 2012 - Todos os os direitos reservados