Notícias

20/05/2013 - RN: Taxa de Acesso de Estudantes à Internet – Rede Pública 60,5% x Rede Privada 95%.

Fonte: Blog Economia do RN - por Aldemir Freire

 
 

Os dados recentes divulgados pelo IBGE mostraram que entre 2005 e 2011 o acesso de potiguares à internet cresceu 220%. A mesma pesquisa também revelou que o crescimento do acesso à internet entre os estudantes da rede pública foi ainda mais acentuado.

Em 2005 aproximadamente 70 mil estudantes da rede pública no Rio Grande do Norte haviam acessado à internet nos três meses de referência que antecederam a realização da pesquisa. Em 2011, sob os mesmos parâmetros, esse número havia subido para 312 mil estudantes, um crescimento de 343%.

Estudandtes rede pública

Todavia, a pesquisa também revelou a persistência de uma enorme desigualdade no acesso à internet entre estudantes das redes públicas e privadas. Enquanto na rede pública, em 2011, aproximadamente 60% dos estudantes tinham acessado a internet, na rede privada esse percentual era de 95%. É certo que o percentual de alunos da rede pública que acessa à internet vem crescendo de forma relativamente acelerada, era 12,7% em 2005 e subiu para 60,5% em 2011, mas a desigualdade ainda persiste.

estudantes acesso internet pub x priv

Essa desigualdade no acesso a internet entre alunos das redes públicas e privadas de ensino está diretamente ligado ao poder aquisitivo dessas famílias. Famílias com maior poder aquisitivo tem os seus filhos matriculados em escolas privadas e essas famílias possuem meios próprios de acesso a internet (desktops, notebooks, tablets e celulares).  Para as famílias de baixa renda suas condições econômicas as levam a matricular os filhos na rede pública e a posse de computadores com acesso a internet também é menor do que naquelas famílias de renda mais elevada.

Isso pode ser facilmente comprovado com outro indicador dessa mesma pesquisa: a posse de computadores conectados à internet, segundo a faixa de renda mensal dos domicílios. Em 2011, no RN, apenas 19,3% dos domicílios com renda até 10 salários mínimos mensais possuíam computadores ligados à web. Entre as famílias com mais de 20 SM esse percentual chegava a 95%. E atentem que na primeira faixa estamos agrupando ATÉ 10 SM, se reduzirmos a régua para famílias com 1 a 2 salários mínimos o percentual de posse de computadores com acesso a internet diminui ainda mais.

acesso a internet

 

Esses dados apontam para a importância de programas que facilitem o acesso dos jovens a internet. Isso passa tanto por facilitar para  as famílias a compra de computadores e a sua  conexão na rede, quando pelo estímulo a centros públicos de acesso a internet, lan houses e a informatização das escolas públicas.

A falta ou a dificuldade de acesso a internet para os jovens de baixa renda certamente será mais um fator a contar contra ele quando no futuro ele for competir com aqueles oriundos de famílias com melhores condições, que desde muito cedo tiveram acesso à informatica e à rede mundial de computadores.

 

Um projeto Sinduscon RN e IDE.

Observatorio da Educação (c) 2012 - Todos os os direitos reservados