Notícias

01/03/2013 - Combate ao Analfabetismo: uma lenta caminhada

No mundo inteiro, o Brasil ocupa uma das posições mais negativas em matéria de analfabetismoSomos 14 milhões de analfabetos, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Desses, a maior parte se encontra na região Nordeste, em municípios com até 50 mil habitantes, na população com mais de 15 anos, entre negros e pardos e na zona rural. O censo relativo ao ano de 2010 revela uma redução de 29% em relação aos números apresentados em 2000, mas ainda é insatisfatória.

Embora o número de analfabetos absolutos esteja diminuindo, como aponta o IBGE, outros índices, como o Indicador de Alfabetismo Funcional (Inaf) indicam que tem aumentado o número de pessoas que não conseguem utilizar o conhecimento da língua para se inserir nas práticas sociais de uso da leitura e da escrita. 

O Nordeste concentra 52,7% do total de analfabetos do Brasil. O estudo realizado em 2011 aponta que 12,9 milhões de brasileiros com mais de 15 anos de idade não sabem ler nem escrever. Destes, 6,8 milhões estão na região Nordeste, que tem taxa de analfabetismo de 16,9%, quase o dobro da média nacional, de 8,6%.

No Rio Grande do Norte, de acordo com os resultados da Pesquisa Nacional por Amostragem de Domicílio sobre a educação, há uma tendência de queda nas taxas da população sem saber ler e escrever desde 2001, passando de 18,6% naquele ano para 15,8% em 2011.

Reduzir os índices de analfabetismo aqui no estado é um compromisso assumido pela secretária estadual de educação, Betânia Ramalho. Para ela, as soluções para melhorar os resultados do estado dependem de mudanças amplas. A secretaria estará lançando em 2013 um grande projeto de alfabetização no RN junto com o Ministério da Educação. O projeto visa conciliar educação escolar e trabalho.

“O conceito de alfabetização tem que ser ao longo da vida, ou seja, letrar. Fazer com que o letramento passe a ser uma categoria que o jovem ou o próprio adulto acione permanentemente”, disse Betânia Ramalho.

Para tentar erradicar o problema no país, o atual governo criou o Programa Brasil Alfabetizado. O MEC vem implementando ainda várias frentes, como a educação de jovens acima de 15 anos e adultos que, por alguma razão, não foram à escola.

 

         
Pessoas de 5 anos ou mais de idade
Unidade da Federação: Rio Grande do Norte
  Alfabetizadas Não alfabetizadas
Idade 2010 2000 2010 2000
5 a 9 anos 152.691 124.427 103.192 161.474
5 e 6 anos 37.086 22.086 61.598 96.501
7 a 9 anos 115.605 102.340 41.594 64.973
10 a 14 anos 273.289 278.749 20.341 34.775
15 a 19 anos 286.568 283.886 10.670 24.927
20 a 24 anos 293.857 228.206 15.608 32.557
25 a 29 anos 264.586 183.114 23.537 35.669
30 a 39 anos 410.237 319.426 66.622 83.487
40 a 49 anos 322.820 196.049 83.339 70.655
50 anos ou mais - 234.753 - 206.826
50 a 59 anos 189.229 - 72.163 -
60 a 69 anos 108.075 - 71.599 -
70 anos ou mais 81.856 - 81.912 -
Fonte: Censo Demográfico - Amostra  

 

 

Pessoas de 5 anos ou mais de idade
Brasil
  Alfabetizadas Não alfabetizadas
Idade 2010 2000 2010 2000
5 a 9 anos 10.589.797 8.974.562 4.377.970 7.601.697
5 e 6 anos 2.848.212 1.478.108 2.977.165 5.260.910
7 a 9 anos 7.741.585 7.496.454 1.400.805 2.340.787
10 a 14 anos 16.567.640 16.328.866 599.495 1.024.817
15 a 19 anos 16.659.025 17.183.983 327.763 765.306
20 a 24 anos 16.801.664 15.145.909 439.199 997.026
25 a 29 anos 16.446.213 12.806.853 656.704 1.040.647
30 a 39 anos 27.722.439 22.839.963 1.910.368 2.449.959
40 a 49 anos 22.428.677 16.743.390 2.414.466 2.530.022
50 anos ou mais - 19.369.316 - 7.684.302
50 a 59 anos 15.913.419 - 2.505.335 -
60 a 69 anos 8.834.681 - 2.521.395 -
70 anos ou mais 6.347.877 - 2.884.938 -
Fonte: Censo Demográfico - Amostra

 

Um projeto Sinduscon RN e IDE.

Observatorio da Educação (c) 2012 - Todos os os direitos reservados